Central de atendimento ao cliente: Rio de Janeiro: 0800 722 0036 | Demais localidades: 3004 5080

Cachaça: Orgulho Tipicamente Brasileiro

Cachaça: Orgulho Tipicamente Brasileiro

Se há alguma bebida brasileira conhecida mundialmente é a cachaça! O destilado de cana-de-açúcar até existe em outros lugares sob o nome de aguardente, mas a cachaça é a nossa marca registrada no universo das bebidas alcoólicas apreciadas e consumidas mundo afora. O sucesso da “branquinha” (que também pode ser dourada!) é tão grande que existe até uma data para celebrar a bebida por aqui: 13 de setembro, data em que a cachaça passou a ser oficialmente liberada para a fabricação e venda no Brasil, no ano de 1661. Os especialistas Leandro Dias e João Almeida, da Escola da Cachaça, contam algumas curiosidades sobre a “caninha” abaixo. Confira!

Porque a cachaça se tornou uma marca registrada do Brasil?

A cachaça nasceu no Brasil, no período colonial. É considerado o destilado mais antigo da América Latina. Um dos principais fatores de sua denominação de origem é a facilidade com que a cana-de-açúcar se adaptou ao solo e ao clima temperado brasileiro, tornando a cachaça um importante ativo comercial para o Brasil desde seu descobrimento.

Quais regiões do país produzem as melhores cachaças?

A cachaça é produzida em praticamente todo território nacional e hoje, graças ao acesso às tecnologias e as constantes trocas de informações entre produtores e entidades de pesquisa, é muito difícil ter uma cachaça com extrema diferença de aromas e sabores. Claro que questões como solo e clima e traços culturais de produção (passagem de conhecimento através das gerações) influenciam muito no produto final, conferindo aromas e sabores diferenciados. Mas o importante é que o brasileiro pode se orgulhar de ter algo produzido em seu país e consumido aqui ou qualquer outro lugar do planeta, com a mesma dose de prazer a cada gole apreciado.

Quais são as cachaças mais consumidas pelos brasileiros? E no mercado internacional?

O Brasil exporta atualmente entre 1% e 2% de sua produção total e a maior parte desta bebida é a produzida em colunas de destilação, as chamadas cachaças industriais. Por conta do grande volume de produção, estas cachaças costumam chegar a preços mais competitivos em outros países. Há, entretanto, um volume crescente de exportações de cachaças em alambique de cobre. Porém, a questão do preço ainda é barreira para a maioria dos produtores.

Qual país, exceto o Brasil, é o maior consumidor de cachaça? Existe algum motivo?

Aproximadamente 60 países consomem nossa cachaça, de acordo com dados do Instituto Brasileiro da Cachaça – IBRAC. A Alemanha ocupa o topo da lista no ranking de consumidores de Cachaça fora do Brasil, seguida de Portugal, Estados Unidos e a França. Uma das explicações é o tráfego intenso de turistas dos países citados. A cachaça é uma bebida versátil que, por conta da diversidade de madeiras usadas para maturação da bebida, logo cai no gosto dos paladares mais exigentes. Para o apreciador de bebidas de qualidade é praticamente impossível não se apaixonar pela cachaça logo no primeiro gole.

A caipirinha é um dos drinks mais populares do mundo feitos com cachaça.

PRINCIPAIS TIPO DE CACHAÇA

Prata (Branca)

É a cachaça que não passa por armazenamento em madeira. Depois da destilação ela é descansada em dornas de aço inoxidável, padronizada e engarrafada. Esse tipo da bebida apresenta paladar e aroma muito próximos da cana. Algumas são retidas em madeiras que não soltam coloração, como o Jequitibá, o Freijó ou o Amendoim do Campo e, por isso, continuam com a cor branca, conhecida também como “cachaça prata”.

Ouro (Amarela)

A cachaça ouro é armazenada ou envelhecida em madeira, apresentando assim, uma alteração substancial em sua coloração, aromas e sabores. Por isso, também é conhecida como cachaça amarela.

Envelhecida

A cachaça envelhecida contém no mínimo 50% de cachaça em recipiente de madeira apropriado. Ela fica em período de “descanso” não inferior a 1 ano.

Armazenada

A cachaça pode ficar armazenada por períodos curtos, de 2 a 5 meses, em tonéis grandes e é bem menos restrita que a cachaça envelhecida. Sua coloração é diferente, pois mesmo que fique estocada por muito tempo, a cachaça armazenada pode ficar com uma cor mais fraca.

Industrial

Seu processo é feito em larga escala, sendo a cana-de-açúcar cultivada em grandes áreas e colhida mecanicamente. Muitas vezes ela passa por colunas de destilação e tonéis de aço inoxidável e há a adição de produtos químicos na fermentação, não separando a parte nobre do destilado. Na cachaça industrial predomina a cachaça branca, mas existem outras versões, com sabores adocicados e de madeiras.

Industrial com Redestilação

Também é trabalhada com grandes volumes e torres de aço inoxidável, mas possui uma etapa do processo de redestilação, que entra em contato com o cobre ou outro metal. Seu processo é defendido como sendo capaz de oferecer melhor qualidade gustativa. De modo geral, é comercializada como cachaça branca e voltada para o preparo de drinks.

Artesanal

O processo de produção da cachaça artesanal é bem detalhado, considerado por apreciadores como uma verdadeira obra de arte. Apesar de ser feita do caldo de cana sem a adição de produtos químicos, cada cachaça agrega características de seu produtor. Por isso, todos os detalhes fazem diferença na produção, como escolha da época da colheita, tempo de moagem, adição de ingredientes, tempo de fermentação, destilação, toneis para o envelhecimento e o engarrafamento. O envelhecimento é o processo que aprimora a qualidade de sabor e aroma da bebida e é a parte final da elaboração. Após o período determinado para o envelhecimento, ela estará pronta para ser engarrafada.

Premium

A cachaça premium ressalta as melhores características do destilado, como suas qualidades de cor, sabor e aroma. Além disso, possui infinitas possibilidades de combinações gourmet, permitindo que seja combinada com madeira, frutas ou com a culinária. A destilação correta é feita em um alambique de cobre, que garante parte de suas qualidades, e é envelhecida por um período no mínimo de um 1 ano.

Reserva Especial

Quando o processo de envelhecimento passa dos três anos, a cachaça ingressa na categoria de “reserva especial”. Com isso, ela adquire características sensoriais diferenciadas do padrão. Porém, essas diferenças precisam ser comprovadas através de laudos técnicos emitidos por laboratórios públicos ou privados reconhecidos pelo MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Com o envelhecimento, a cachaça ganha a cor da madeira, passando pelo dourado. É comum que a graduação e a acidez natural também diminuam, tornando a bebida mais suave.

Blend

Os blends de uísque consistem da mistura de diferentes uísques envelhecidos em carvalho com o intuito de obter uma bebida com características únicas e sensoriais. Isso também é feito com a cachaça. O grande diferencial é que no Brasil temos cerca de 30 tipos diferentes de madeira para armazenar ou envelhecer cachaça, portanto podemos ter um número maior de blends (não apenas de carvalho como acontece com o whisky, por exemplo), o que deixa a bebida muito mais rica e diversa.

Posts relacionados

Newsletter

Fique por dentro das nossas novidades.

voltar para o topo